Ciúme entre irmãos

Postado em 10/04/2021

Ciúme entre irmãos

Algumas medidas podem ajudar crianças a expressarem os sentimentos contraditórios que têm em relação aos irmãos sem que isso seja feito de forma agressiva ou incompreendida.

Pais com mais de um filho provavelmente experienciaram, em algum momento, certa tensão, conflito de interesses, competição por atenção ou outros comportamentos dos filhos em virtude da convivência com os irmãos. A chegada de uma nova criança na família exige rearranjos físicos e psicológicos: a mudança no quarto, a preparação do espaço, a criação de um novo papel na família a ser interpretado por esse novo membro.

Nesse momento de reconfiguração, o filho mais velho pode ter dificuldade em compreender o que está acontecendo, uma vez que nunca teve a experiência de compartilhar de forma tão intima a atenção dos pais.

A chegada de um novo bebê sempre acarreta reações ciumentas no filho mais velho?

Um novo membro na família sempre gera, como comentamos, um rearranjo das relações familiares, provocando diversas reações nos filhos mais velhos. É importante estar atento a essas reações, uma vez que elas são uma importante fonte de informação sobre o reconhecimento desse novo membro. Entre essas reações, está o ciúme, que pode se manifestar de diversas formas. É importante ressaltar que o ciúme entre irmãos pode não aparecer imediatamente, como resposta à chegada do bebê, mas com o passar do tempo, através do aumento da convivência e da necessidade cada vez maior de compartilhar brinquedos e momentos da vida.

Quais são os sinais de ciúmes na criança?

Algumas crianças tendem a ficar mais agressivas, outras mais introspectivas. As reações agressivas podem ser direcionadas para o bebê (quando o irmão mais velho rejeita o mais novo e não quer sua presença) ou para os pais (quando o irmão mais novo é tratado com carinho, mas os pais são tratados de forma hostil, agredidos fisicamente e verbalmente).

As crianças que reagem de forma introspectiva podem desenvolver sintomas como a enurese noturna (urinar enquanto dorme), dificuldades de alimentação ou, ainda, demonstrarem comportamentos diferentes apenas fora de casa, reservando para a escola as dificuldades que estão enfrentando.

Como os pais podem enfrentar essa situação?

É importante ter em mente que a angústia que está na base dos comportamentos ciumentos é o medo de ser abandonado, deixar de ser amado pelos pais. Nesse sentido, as ações parentais devem sempre visar a formas de deixar claro que o amor existe para todos os filhos e que a chegada de um novo irmão não muda essa condição. Essa reafirmação constante, por mais desnecessária que pareça, faz muita diferença na forma como as crianças lidam com as mudanças na estrutura familiar.

 

Algumas ações podem auxiliar nessa tarefa:

- Não feche um ciclo de maus comportamentos: a disciplina para reações ciumentas deve ser diferente, não punitiva, e sim uma reafirmação do amor incondicional pela criança;

- Evite acumulação de mudanças: mudar de casa, de escola, de grupo de amigos e ainda ter um novo membro na família podem ser uma carga excessivamente complicada para a criança elaborar;

- Prepare seus filhos para a chegada de um novo membro na família, deixe que eles façam perguntas, tente responder àquelas que conseguir e mostre seu desconhecimento diante das questões que não souber responder. Pesquisem juntos as respostas;

- Estimule e aprecie as demonstrações de carinho entre os irmãos e, na medida do possível, tente ignorar comportamentos de rejeição, até que a chegada do irmão possa ser melhor elaborada pela criança. Esse processo pode ser facilitado através da delegação de tarefas simples no cuidado do bebê para o filho mais velho;

- É importante lembrar que algum tempo com cada um dos filhos em particular pode ser fundamental para garantir a segurança diante da angústia de estar perdendo o amor dos pais. Reservar um tempo para cada filho é sempre uma boa forma de conhecê-lo melhor;

 

- Os comportamentos agressivos devem ser sempre repreendidos, sem que isso seja transformado em uma carga de culpa para o filho mais velho. É importante que a criança expresse seus sentimentos, inclusive os negativos, mas é necessário educá-la para outras formas de fazer isso, como atividades artísticas ou esportivas;

 

- Esteja sempre atento a sinais de retraimento ou agressividade expressos fora de casa. Tente manter contato constante com a escola para saber como anda o relacionamento com os amigos e com os irmãos que estudam juntos.

Outras Notícias

 

Adaptação dos pais com a entrada dos filhos na escola
Postado em 26/09/2021

Por Andressa Basilio/Revista Crescer

Se você pensa que só as crianças precisam de adaptação ao ingressarem na escola, esqueça. Você também precisa de um tempo para aprender a lidar com essa nova ...
leia mais »

Relação entre professor e aluno é espelho da escola e da família
Postado em 19/09/2021

Relacionamento não depende só dos dois. Para experts, o trabalho do professor é dificultado quando não há parceria com os pais.

Uma relação que sempre foi marcada por extremos de admiração e afeto ou por forte antipatia pare...
leia mais »

Nove Regras para Criarmos uma Criança Tímida
Postado em 12/09/2021

Maus e Bons Hábitos, tudo é uma questão de Aprendizado...

"Poucas pessoas sabem disso, mas, assim como os vícios são hábitos, pensar negativamente também o é..."

Imagine que uma criança tem o potencial pa...
leia mais »